Política

Presidente Michel Temer faz pronunciamento e diz que não irá renunciar

Em discurso de cerca de quatro minutos, Temer chamou as gravações de clandestinas


- Antonio Cruz/Agência Brasil

Brasília - O presidente Michel Temer fez pronunciamento oficial, em Brasília. Em seu discurso, reforçou o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo governo, os números positivos - em relação à inflação - e chamou as gravações dos donos da JBS como algo "clandestino". Reforçou que não irá renunciar e pediu agilidade nas investigações. Afirmou que não solicitou dinheiro para o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e que irá responder ao Supremo Tribunal Federal. 

 

Relembre o caso

O jornal O Globo denunciou, na noite de quarta-feira (17), a delação dos donos do frigorífico JBS à Procuradoria-Geral da República (PGR). Eles teriam gravado o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado - ex-presidente da Câmara dos Deputados -, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

De acordo com o jornal, Joesley Batista teria entregue gravação feita em março deste ano. Temer teria indicado o deputado Rodrigo Rocha Lourdes (PMDB-PR) para encaminhar a resolução das dificuldades da J&F, holding que controla a JBS. O deputado apareceu em vídeo recebendo mala com R$ 500 mil, enviados por Joesley.

O empresário teria falado ao presidente que estaria dando mesada para Eduardo Cunha e o operador Lúcio Funaro para que permanecessem quietos na prisão. Temer disse, diante desta informação: "Tem que manter isso, viu?".

Aécio Neves
O presidente do PSDB, senador Aécio Neves, também foi gravado pedindo ao empresário R$ 2 milhões. O dinheiro foi entregue a Frederico Pacheco de Medeiros, primo do senador. Isto foi filmado pela Polícia Federal. Rastreado, este valor foi detectado em uma conta da empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

Comentários

VEJA TAMBÉM...