Política

Ricardo Wagner deixa governo para lançar pré-candidatura

Secretário teutoniense nega que saída da Administração tenha relação com operação do Ministério Público

Créditos: Matheus Aguilar
PRÉ-CANDIDATO: Ricardo Wagner diz que exoneração é para atender prazo legal para concorrer - Matheus Aguilar

Teutônia - Em meio à toda turbulência causada pela realização da Operação Schmutzige Hände (Mãos Sujas), o governo de Teutônia sofreu mais uma baixa. O secretário de Planejamento e Mobilidade Urbana, Ricardo Wagner, pediu exoneração do cargo. Ele afirma que a saída não tem ligação com a investigação do Ministério Público estadual e só ocorre em função do prazo de desincompatibilização para quem pretende concorrer na eleição de outubro. Wagner é pré-candidato a deputado federal pelo Partido da República (PR), legenda à qual se filiou na quinta-feira.

O anúncio oficial foi feito na manhã desta sexta (6), na sala de reuniões do Centro Administrativo municipal. "Estou saindo na última hora do prazo. Ficaria aqui mais três meses, se pudesse, mesmo sendo candidato", frisa. "Minha exoneração não tem nenhuma vinculação com os recentes acontecimentos. A secretaria não foi alvo das ações e nenhum servidor da pasta foi chamado para prestar esclarecimentos", justifica.

Wagner ressalta que coloca o nome como pré-candidato a deputado por acreditar que o Vale do Taquari tem população suficiente para eleger representantes da Câmara Federal. "Há um bom tempo não temos candidatos da região. Comunidades inteiras, em todo o Estado, já demonstraram apoio e garantiram que estariam juntas em uma candidatura", explica. "Percebo que é algo muito concreto a possibilidade de uma eleição. Não estou me propondo a nenhuma aventura", aponta.

 

Filiação ao PR

Ricardo Wagner assinou a filiação ao novo partido na quinta-feira. A escolha levou em conta três aspectos. "Primeiro, é o partido onde está minha família. Segundo, pela ideologia, a visão liberal na economia, que é a mesma minha. E, por fim, em razão do número de votos que podem ser necessários para conquistar uma das vagas. As chances são muito grandes", acredita. Ele ressalta que a sigla é incipiente em Teutônia, mas tem bases sólidas pela região.

 

Sem substituto

Ainda não há definição sobre quem assume a titularidade da Secretaria de Planejamento e Mobilidade Urbana. "Essa pré-candidatura já vinha sendo construída, mas eu não tinha comentado com ninguém. O prefeito compreendeu os motivos da saída. Não tem nenhuma relação com a operação do fim de março", reforça Ricardo Wagner.

 
 
Prefeitura não fala sobre CPI

A Prefeitura de Teutônia ainda não se manifestou sobre o pedido de CPI que ingressou na Câmara de Vereadores. O departamento jurídico deve analisar a situação depois de analisar os contratos que estão sendo investigados na Operação Schmutzige Hände (Mãos Sujas).

No dia 28 de março, quatro pessoas foram presas preventivamente e cinco conduzidas coercitivamente para prestar esclarecimentos durante uma operação coordenada pelo Ministério Público (MP). Foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão em departamentos da prefeitura, na empresa de um dos suspeitos e nas residências de dois investigados. As investigações começaram há cerca de três meses, a partir de informações sobre suspeitas de desvios na atual gestão. São apuradas possíveis fraudes e direcionamentos de licitações (escolha de vencedores), pedidos de propina a fornecedores do município, lavagem de dinheiro, organização criminosa e irregularidades ocorridas durante o ano passado. Esta ação motivou o ingresso do pedido de CPI, assinado por seis vereadores e entregue para a Mesa Diretora do Legislativo na quinta-feira.

 

Confira o vídeo de Ricardo Wagner explicando o motivo da exoneração do cargo.

Comentários

VEJA TAMBÉM...