Política

Vereadores começam a discutir lei do transporte coletivo

Projeto dá entrada na Câmara, mas não tem previsão de votação

Créditos: Matheus Aguilar
Parte dos discursos aborda projeto de transporte - Matheus Aguilar

Lajeado - A proposta de regulamentação do transporte coletivo de passageiros que vai embasar a próxima licitação para concessão do serviço dificilmente será votada em 2018. O projeto de lei deu entrada na Câmara de Vereadores nos últimos dias e foi discutido na manhã de ontem (18), durante a reunião das comissões. Em plenário, a crítica foi em relação ao pouco tempo para estudo da matéria neste ano. Na quinta-feira da semana que vem, está marcada mais uma sessão ordinária do legislativo lajeadense.

Sérgio Rambo (PT) pede que um técnico da área converse com os vereadores antes do texto ser colocado em votação. "É importante que alguém possa nos explicar melhor. É responsabilidade nossa decidir o que é melhor para a população de Lajeado", diz. Ele alega que não encontrou no projeto nenhuma referência a paradas para os ônibus. "Não se faz transporte coletivo sem paradas. É importante que alguém nos auxilie nessa proposta. Temos que avaliar, também, se é necessário que vá à votação ainda neste ano", complementa.

Colega de partido, Sérgio Kniphoff reclama do prazo curto para estudo. "Um projeto deste tamanho não pode ser colocado em uma semana. Não me sinto a vontade para votar neste ano", indica. "Em uma leitura rápida, fiquei com pelo menos dez perguntas sem respostas. Concordo com o Rambo sobre a importância de termos um técnico para detalhar esta matéria", frisa.

Eder Spohr (MDB) afirma ser impossível a votação neste ano. "Como vamos votar algo que a gente não conhece? Precisamos estudar o projeto melhor. Não podemos passar esse cheque em branco." Neca Dalmoro (PDT) lembra que há uma demanda muito grande por um transporte público de qualidade. "Nossa população está clamando por isso", afirma.

 

Waldir Blau eleito na Avat

Na última sexta-feira (14), Waldir Blau (MDB) foi eleito presidente da Associação dos Vereadores do Vale do Taquari (Avat). Ele recebeu 54 votos.
Conforme Blau, hoje a entidade tem 19 filiadas e a meta é chegar a 100% das Câmaras da região. "Queremos mostrar a força dos legislativos do Vale em pautas importantes, como a busca por soluções para a cadeia leiteira e a ERS-130, que é um grande gargalo para o desenvolvimento", destaca.

 

Projetos em votação

Projeto de lei 123 - Altera o artigo 25 da lei nº 5.840/96, que institui o Código de Posturas. Pedido de vistas de Waldir Blau (MDB).
Projeto de lei 143 - Autoriza o Executivo a receber, na forma de dação em pagamento, uma área de terrenos urbana de Pedro Blásio Ruschel. Teve dois votos contrários.
Projeto de lei 156 - Dispõe sobre a isenção da Taxa de Licença e Localização de Estabelecimentos e de Vistoria para as entidades de assistência social que recebam subvenções do município.
Projeto de lei 159 - Aprova o calendário de eventos para 2019.
Projeto de lei CM 069 - Acrescenta o parágrafo único no artigo 3º da Lei Municipal nº 10.424/2017, visando agilizar o Programa de Pavimentação Comunitária com a possibilidade de que as empresas elaborem os projetos técnicos, através de engenheiro civil, no entanto, com a aprovação do Executivo para poder dar andamento. Autoria de Marcos Schefer (MDB), Carlos Ranzi e Mozart Lopes.

Comments

SEE ALSO ...