Reportagens Especiais

Quem manda é ela

No Dia Internacional da Mulher, a delegada Elisabete Müller é um exemplo de que elas podem tudo ...


Quem vê Elisabete Müller pelas ruas da cidade não sabe que por trás da figura tranquila, com um porte franzino, está a nova titular da 19ª Delegacia Regional de Polícia, com sede em Lajeado. Mesmo com características que aparentemente não apontam para quem trabalha em um cargo que exige responsabilidade no combate à violência e firmeza nas decisões, Elisabete quer proporcionar um novo caráter para a regional. E a notícia da posse não poderia ser em uma semana melhor para a ex-delegada de Encantado. Hoje, no Dia Internacional da Mulher, ela comemora os louros da carreira que foi sempre focada na força de vontade e afirma: "Vou dar uma cara nova para a região".
Para a delegada, o número de mulheres policiais tem tido um aumento na última década. "Há dez anos fui delegada regional, e o quadro era bem diferente. Isso dá uma nova cara para a Polícia Civil, um diferencial", lembra. Sem querer desmerecer os homens, Elisabete é enfática ao dizer que a mulher tem por natureza conseguir fazer várias coisas ao mesmo tempo, diferentemente dos homens, que são mais focados. "Nós sabemos usar a razão e a sensibilidade, temos um trato diferente", argumenta.
É esse diferencial em ser mulher que faz com que ela consiga administrar uma casa com marido, dois filhos e ainda ter tempo para os pais e amigos. "Já passei momentos de culpa por deixá-los, mas sempre tive sorte de ter pessoas de bom caráter que trabalham na minha casa. Confesso que se não fosse o apoio do meu marido, não seria fácil", admite. Mesmo com a correria, ela não deixa de reforçar o vínculo com os filhos. "Quando estou com eles, estou com eles. O importante é ter qualidade nesse tempo. Consigo ter uma família estruturada, e até agora está dando certo", avalia.

Linha dura no combate
Não é de hoje que a DRP tem uma mulher no comando. O cargo era antes ocupado por Flávia Colossi Frey. "É um desafio substituir a delegada Flávia. Ela fez um bom trabalho na região e a deixou estruturada", argumenta Elisabete. Ela explica que antes estava mais na linha de frente como delegada em Encantado. "Tinha uma atuação direta em operações, com o público infrator. Na regional poderei estabelecer uma rotina e oferecer subsídios às outras delegacias. Também quero reforçar a importância da comunidade ao ajudar a elevar o nome da Polícia Civil."
Na sua linha de atuação, ela quer combater os crimes macros. "A criminalidade está mais sofisticada, e pode-se dizer, intermunicipal. É um dos grandes desafios, mas precisamos mostrar para a sociedade que a polícia está atacando os grandes criminosos." O tráfico de drogas é considerado por ela o gerador de outros crimes. "Quero me engajar em todas as lutas contra a repressão e buscar a prevenção e reinserção dos usuários", explana.
O combate à violência doméstica e mais cuidado com o meio ambiente são outras bandeiras levantadas por ela.

Bruna Lovato
[email protected]

Comentários

VEJA TAMBÉM...