Reportagens Especiais

Só Alegria e Unidos da Folia disputam o título

Das quatro escolas que desfilaram na noite de sábado, agremiações dos bairros Conservas ...


Depois dos problemas enfrentados no Carnaval Regional do ano passado, Lajeado voltou as atenções para as quatro escolas da cidade, que desfilaram na noite de sábado no Carnaval fora de época de Lajeado. Passaram pela Santos Filho, no Parque Professor Theobaldo Dick, Academia do Samba, Só Alegria, Samba Reggae e Unidos da Folia. Como convidados, o Bloco dos Palhaços e a Inhandava, de Bom Retiro do Sul, fizeram bonito na passarela do samba.
Um público estimado em oito mil pessoas acompanhou as mais de seis horas de desfile. No final, a sensação de que a disputa pelo título deve ficar entre as escolas Só Alegria e Unidos da Folia, que apresentaram melhor acabamento em alegorias e adereços, e de que as escolas ainda precisam evoluir muito para fazer frente a entidades tradicionais da região, como Inhandava e Irmãos da Opa, de Taquari. No entanto, o secretário de Cultura e Turismo de Lajeado, Gerson Teixeira, observa que houve evolução em relação aos desfiles passados. "Algumas destas escolas foram desclassificadas por não cumprirem o regulamento no ano passado. Isso serviu de lição e estimulou a evolução", considera.
A divulgação do resultado do Carnaval de Rua de Lajeado será feita hoje, a partir das 14h, na Casa de Cultura. No total serão destinados R$ 30 mil de premiação às escolas. Ao 1º lugar será destinada a quantia de R$ 10,5 mil. Já o 2º colocado receberá R$ 8,5 mil. O 3º, R$ 6,5 mil, e o 4º lugar ficará com os R$ 4,5 mil restantes.

Inhandava: convidada de luxo
A 2ª colocada no Carnaval Regional do ano passado encerrou a noite de desfiles na Rua Santos Filho. Com o enredo Inhandava na Festa das Flores, a entidade carnavalesca, mesmo desfalcada de alguns integrantes, mostrou a competência característica e o belo acabamento em alegorias e adereços.

Bloco dos Palhaços: irreverência e interação
Primeiro a percorrer a Santos Filho, o Bloco dos Palhaços manteve a originalidade já caracterizada nos 41 anos de desfiles. Interagindo com o público, 180 integrantes levaram irreverência, criatividade, brincadeiras e brindes. O tema da carnavalesta Walli Mueller "Palhaço viajante no tempo" retratou diferentes épocas da humanidade, dos homens da caverna aos habitantes do espaço. Sempre com muita animação.
Egito e Roma antigos, Idade Média, os hippies dos anos 1970, o Velho Oeste - com direito a saloon kids - foram algumas das viagens feitas pelo bloco. Destaque para a "catapuxa", uma espécie de catapulta que lançava brindes ao público. E viagem que se preze não pode ser a pé. Para percorrer parte da história, os palhaços foram de "Ferrari" - pilotada por Rubinho Barrichello -, bicicleta, moto, calhambeque, avião e até de retroescavadeira. Para dar conta de tantos quilômetros de alegria percorridos, teve até churrasco sendo assado em plena avenida.
Além da irreverência, o bloco levou beleza ao Carnaval de Rua. A 2ª princesa do Carnaval de Lajeado, Mariela Zanatta; a Garota Verão da cidade, Milena Fernandes; e o Mister Man RS, Vagner Oliveira, deram um toque de sensualidade. O presidente da associação, Darci Possamai, destaca que o objetivo do bloco foi alcançado. "A gente não tem a pretensão de virar escola, competir. Queremos divertir, interagir com o público. Assim mantemos a espontaneidade."
 
Em ritmo de Copa do Mundo, Só Alegria está no páreo
A Escola de Samba Só Alegria usou uma receita simples para fazer bonito nos 300 metros da Santos Filho. Juntou Carnaval e futebol e se candidatou ao título, conquistado em 2010, mas que escapou no ano passado ao descumprir o regulamento. Com o tema "Copa 2014: o mundo a seus pés", a Só Alegria caprichou nas alegorias e fantasias, colorindo o caminho.
Com duas alegorias e abusando do verde e amarelo, os 110 componentes tiveram reforço de última hora. Com um grupo de travestis, Malu Bismarky fez sucesso na passarela do samba pela Só Alegria. Um acaso. "Íamos desfilar na primeira escola - Academia do Samba -, mas chegamos atrasadas", explica Malu. Pintada no melhor estilo "Globeleza", Malu contou que a maquiagem levou quatro horas para ficar pronta. "Só estou com um tapa-sexo", alertou, entre um pedido de foto e outro.
Apesar de ser uma das candidatas ao título, a Só Alegria precisou apurar o passo no final do desfile, para não extrapolar o tempo máximo de 45 minutos, o que provocou aglomeração das alas no final do percurso.

Academia do Samba canta o amor e esbanja sensualidade
A Escola de Samba Academia do Samba, do Bairro Conservas, levou o amor à avenida. Sob o comando da presidente Terezinha da Silva, a agremiação foi a primeira das concorrentes ao título a pisar na passarela do samba. "Trabalhamos em cima do enredo, que fala de amor num tempo de tanta violência", explica Terezinha, que se dedicou de forma quase exclusiva ao Carnaval desde o ano novo.
Com duas alegorias e 125 componentes, a escola levou muita sensualidade à avenida, com passistas e destaques com muito samba no pé. E quem chamou a atenção foi o casal Anderson Vidal (17) e Adriana da Silva Vidal (37). A dupla, que esbanjou samba no pé e sensualidade, na verdade são mãe e filho. "Sempre gostei de samba e Carnaval. Mas o Anderson aprendeu sozinho. Quando vi, puxei ele e disse 'vem cá dançar com a mãe'", lembra Adriana. "É bom porque a gente tem sincronia", fala o filho.

Desfile dedicado às mulheres coloca Unidos da Folia na disputa
A Escola de Samba Unidos da Folia, do Bairro Santo Antônio, foi a última das concorrentes a percorrer os 300 metros da passarela e entrou na disputa pelo título. Com três carros alegóricos, quatro alas e 150 integrantes, o grupo apresentou o enredo "Mulher, de todas as formas, sempre mulher". A comissão de frente contou com dez crianças do Projeto Vida, que apresentaram coreografia em homenagem às mães. Uma das alas representou babás com crianças embaladas pelo samba. Teve até grávida de oito meses na avenida.
Alas dedicadas a mulheres guerreiras e bem-sucedidas compuseram o enredo da escola. A segunda alegoria simbolizava Eva e as tentações, além do preconceito, ignorância e violência contra a mulher. O terceiro carro representou a fé das mulheres. Destaque para Sirlei de Souza (64), ou "Jacica", como é conhecida no Santo Antônio. Com 20 anos de Carnaval, dez deles como baiana, esta foi a primeira vez que desfilou como destaque. "É bom, a gente cansa menos", admitia a experiente da folia.

Samba Reggae: problemas e garra na avenida
Não é desta vez que a Samba Reggae levará o título do Carnaval de Rua de Lajeado. A agremiação que desfilou pela segunda vez como escola - participou por 11 anos como bloco - enfrentou uma série de problemas e deve perder muitos pontos. A bateria, por exemplo, não contou com o mínimo de 20 integrantes, mesmo com a improvisação com o deslocamento de integrantes de outras alas. A comissão de frente, apesar do nome, desfilou depois do carro de som e da bateria. Com uma baiana, agremiação também pode perder pontos neste quesito. A Samba Reggae cumpriu o limite mínimo estipulado pelo regulamento e desfilou com um carro alegórico.
O presidente da Samba Reggae, Mestre Karkará, explica que estava prevista a participação de muitos capoeiristas de fora da cidade, mas por problemas de transporte muita gente não compareceu. Apesar das dificuldades, Karkará e a Samba Reggae deram lição de superação. Sem o intérprete principal, coube a Karkará cantar sozinho o samba-enredo Vovô Mandingueiro. Destaque também para as performances dos capoeiristas.
Apesar de todo o esforço, a escola não atingiu nem o limite mínimo de 35 minutos de desfile e deve amargar a 4ª posição.

O que O Informativo viu?
 A estrutura montada pela prefeitura está de parabéns. O desfile contou até com gerador próprio, caso faltasse energia.
 A segurança é outro ponto a ser destacado. Além de seguranças particulares, policiais militares estavam em várias partes do Parque dos Dick.
 Malu Bismarky fez sucesso na avenida. Após e até durante o desfile, homens, mulheres e adolescentes pediam para fazer foto ao lado do travesti.
 Teve folião que abusou da bebida. Alguns integrantes de uma escola chegaram a beber cachaça na frente dos jurados.
 No camarote da prefeitura, o presidente da Câmara de Vereadores, Rui Olibio Reinke, o "Adriel", não escondia o desconforto. Desafeto declarado de vários secretários, Adriel chegou a trocar palavras com alguns deles.

VEJA GALERIA DE FOTOS NO SITE


Ermilo Drews

[email protected]

Comentários

VEJA TAMBÉM...