Polícia

Policiais militares contam com atendimento médico toda quinta

Depois de sete anos sem o serviço, médico atende brigadianos dos 37 municípios de abrangência do CRPO-VT

Créditos: Caroline Garske
O capitão Marcelo Lopes atende toda quinta-feira em Lajeado e é auxiliado pelo soldado Lima - Caroline Garske

LAJEADO | Os policiais militares do Vale do Taquari contam, desde a última semana, com atendimento médico do capitão Marcelo Lopes, do quadro de oficiais de saúde da Brigada Militar (BM). As consultas são realizadas toda quinta-feira, entre 10h30min e 15h, na sede do Comando Regional de Policiamento Ostensivo do Vale do Taquari (CRPO-VT), na Rua Marechal Deodoro, Centro.

Após sete anos sem o serviço especializado em saúde, agora, o Comando Regional comemora a presença semanal do capitão Marcelo. "Quando precisava de consulta, embarcávamos o policial para ir ou a Montenegro, ou a Santa Cruz do Sul, que são os lugares que também têm atendimento", relembra o major Ivan Urquia, que é Chefe do Estado Maior do CRPO-VT. Para ele, o comparecimento do profissional em saúde em Lajeado representa uma economia de tempo, de combustível e da própria viatura, que se desgasta a cada deslocamento.

O serviço atende policiais dos 37 municípios de abrangência do CRPO-VT e também os alunos-soldados que estão em período de formação em Lajeado. "Já tivemos uma aluna que torceu o pé e teve que ir para Porto Alegre para ser atendida. Se fosse hoje, poderia ser atendida aqui", ressalta o major Ivan.


Problemas mais comuns

O capitão Marcelo Lopes é médico especializado em cirurgia vascular e atua no Hospital da Brigada Militar de Porto Alegre. No CRPO-VT, os atendimentos de toda quinta-feira são realizados na sala especial da Formação Sanitária Regimental (FSR), obrigatória em todo comando regional da BM, para proporcionar o atendimento de forma reservada.

Conforme o médico, semanalmente são feitas consultas para tratar de problemas básicos e, se houver a necessidade de um atendimento especializado, o paciente militar é encaminhado ao hospital da Corporação. O capitão Marcelo explica que as reclamações mais comuns dos militares são com problemas ortopédicos. "Pelo fato de eles fazerem policiamento e ter que usar cinto, colete e ficar em pé por muito tempo, as questões ortopédicas são as mais corriqueiras."

O soldado Carlos Artur Lima, que também é formado em Enfermagem pela Universidade do Vale do Taquari - Univates, auxilia o médico nas quintas de atendimento. "Eu faço a parte administrativa e procedimentos técnicos que precisa fazer, como curativos e injeções", comenta. Há 20 anos como soldado, Lima também já atuou no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). "Sempre trabalhei nessa área de primeiros socorros, que eu gosto bastante." A parte pericial dos servidores da Brigada Militar também pode ser encaminhada na FSR do CRPO-VT.

Comments

SEE ALSO ...