Política

Prefeito de Teutônia entrega defesa para comissão processante

Na segunda-feira, ocorre uma nova reunião do grupo

Créditos: Redação

Teutônia - O prefeito Jonatan Brönstrup (PSDB) entregou ontem sua defesa para a comissão processante da Câmara de Vereadores, que investiga a suspeita de envolvimento dele em atos da chamada Operação Mãos Sujas. Conforme a assessoria de imprensa da prefeitura, este foi o cumprimento de um trâmite, já que o prazo para argumentação encerrou-se nesta quinta-feira. O presidente da comissão, vereador Delcio José Barbosa (PPS), informa que, na segunda-feira, ocorre uma nova reunião do grupo. "Temos que investigar e fazer o relatório. Na comissão não julgamos ninguém. Quem vai julgar são os próprios vereadores, quando votarem o relatório", explica o parlamentar.

Sessão

Durante a sessão de ontem, foram votados seis projetos. Um prevê a abertura de crédito adicional suplementar no valor de R$ 410.400,00. Também esteve na ordem do dia a abertura de crédito adicional especial de R$ 155.390,40. A contratação de servidores em caráter temporário, a autorização para que o município firme contrato de rateio com o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Taquari (Consisa-VRT), a criação de uma comissão de implantação do eSocial na administração pública e a autorização para que o Executivo municipal forneça moradia, alimentação e transporte aos médicos participantes do Programa Mais Médicos foram os outros textos apreciados. Todos foram aprovados por unanimidade.

A Casa aprovou, por unanimidade, um veto do Executivo ao projeto que institui o plano de carreira e remuneração do magistério municipal, cria o respectivo quadro de cargos públicos, estabelece o regime de trabalho, plano de pagamentos e critérios de avaliação. Tinha tido aval dos vereadores no último dia 3. A instituição do turno integral nas escolas da rede municipal foi retirada da pauta de ontem e ficou baixada nas comissões do Legislativo.

Relembre o caso

Quatro pessoas foram presas preventivamente e cinco conduzidas coercitivamente para prestar esclarecimentos durante uma operação coordenada pelo Ministério Público (MP), na manhã de 28 de março. Foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão em departamentos da prefeitura, na empresa de um dos suspeitos e nas residências de dois investigados. Conforme o MP, as investigações iniciaram-se três meses antes, a partir de informações sobre suspeitas de desvios na atual gestão. São apuradas possíveis fraudes e direcionamentos de licitações (escolha de vencedores), pedidos de propina a fornecedores do município, lavagem de dinheiro, organização criminosa e irregularidades ocorridas durante o ano passado.

Comentários

VEJA TAMBÉM...