Variedades

Comitiva da região desbrava o Norte da Itália em intercâmbio

Grupo formado por 26 gaúchos da parte alta do Vale está em viagem pela Europa

Créditos: Redação
Intercambistas desbravam o norte da Itália em busca de conhecimento e novas experiências - Arquivo pessoal/Maria Luísa Spadoni

Vale do Taquari - Desde 22 de janeiro, um grupo de 21 alunos participantes do projeto de intercâmbio "Caminhos dos Moinhos", que compreende o Museu do Pão, em Ilópolis, está em viagem pela região Norte da Itália. São 26 integrantes de uma comitiva, que partiu do Vale do Taquari em busca de conhecimento e troca de experiências.
A viagem é um retorno à visita de italianos, estudantes da escola Liceo Linguistico a Auronzo di Cadore, que estiveram na parte alta do Vale, em novembro do ano passado, e foram recebidos por estes alunos brasileiros em suas casas.

Conforme a professora de italiano que acompanha a comitiva, Maria Luísa Spadoni, o passeio dos brasileiros pelos alpes italianos visa um reencontro com seus precedentes. "Os nossos estudantes partiram muito felizes ao país da descendência dos seus antepassados", diz. Eles realizam o grande sonho de conhecer o "Bel Paese", Itália.

Projeto

Esta é a terceira edição do intercâmbio, que teve início em 2011 e é organizado pelo diretor de assuntos externos da Associação dos Amigos dos Moinhos do Vale do Taquari (AAMoinhos), Ismael Rosset. Segundo ele, a viagem faz parte de um projeto realizado em parceria com o Poder Público das comunidades da parte alta do Vale, parceiras da entidade, que oferece curso de língua italiana em três módulos e desenvolvido em 16 encontros.

Antes da partida à Europa, os alunos se submetem ao curso e estabelecem uma comunicação efetiva com os intercambistas italianos e suas famílias, que vêm ao Brasil. "Estamos tendo uma experiência muito interessante com estes alunos, da faixa etária entre 15 e 20 anos, mais um grupo de professores das redes municipais, estadual e particular da região que participam do projeto com uma forma de fortalecer e intercambiar o projeto com mais força", declara Rosset.

Durante o período de estadia na Europa, a comitiva fica hospedada nas residências de famílias italianas. "É uma cidade de aproximadamente quatro mil habitantes, de muitos sobrenomes de italianos que estão presentes também no Brasil", finaliza o organizador, relatando sobre os aspectos culturais, históricos e geográficos que estão sendo visitados no local.

Pesquisa

A doutoranda do programa de ambiente e desenvolvimento da Univates, Janaíne Trombini, 29 anos, está pela primeira vez na Itália. Natural de Progresso e descendente de italianos, ela é formada em História e acompanha a comitiva em sua pesquisa acadêmica, que tem como foco toda a região de colonização italiana no Vale do Taquari.
"É um estudo comparativo entre a região do Vêneto, na Itália, e a parte alta do Vale do Taquari. Vim para cá com a finalidade de conhecer a região, as famílias, e ver se aqui e, principalmente, o gemellaggio do Vale, ainda têm algumas questões culturais, agropecuárias, que envolvem a língua, a produção econômica, presentes. Estou no segundo ano do doutorado, é muito importante estar aqui, para conhecer ainda mais a língua, e também a geografia, produção e como se vive na Itália", indica Janaíne.

Comentários

VEJA TAMBÉM...