Coronavírus

Filhos em casa durante a quarentena exigem criatividade dos pais

A ruptura na rotina das famílias podem sobrecarregar pais e mães. Trocar experiências facilita o desafio

Créditos: Victória Lieberknecht
Na quarentena, Catherine Ribas distrai os filhos, de 2 e 8 anos, e dá dicas de brincadeiras no seu perfil do Instagram - arquivo pessoal

LAJEADO | A casa constantemente desarrumada é um dos primeiros sinais de que ali habitam algumas crianças que estão fora da escola. A quarentena, em prevenção à contaminação pelo Covid-19, trouxe novos desafios às famílias. Para a psicóloga e psicopedagoga Adriana Manica, dar conta de todas as tarefas ao mesmo tempo - seja trabalho, vida doméstica ou criação dos filhos - pode deixar o pais exaustos e com a sensação de certo fracasso.

A situação de emergência mundial recolheu as famílias para dentro de suas casas. Usar a criatividade, sem se cobrar demais, é uma das alternativas. Conforme Adriana, é comum que muitas mães e pais procurem 'bater metas' de produtividade e entretenimento com as crianças. "É preciso relaxar nesse momento. Manter certa rotina se faz necessário, mas, em uma situação atípica como essa, os adultos também podem se dar ao luxo de, às vezes, simplesmente passar o tempo ao lado dos pequenos."

Deitar na sala, jogar videogame e brincar despretensiosamente ajuda os pais a não entrarem em colapso na quarentena, que lhes tem exigido muito mais energia do que o normal. Para a jornalista Gabriela Junqueira Quevedo (34), os desenhos animados têm sido uma válvula de escape para que consiga estudar com o filho de 10 anos, enquanto a caçula, de 3 anos, assiste à televisão. "Temos que nos dividir em mil, então em algumas horas do dia a tecnologia é a melhor aliada de pais que precisam dar conta de muitas demandas ao longo do resguardo."

Mesmo com mais brincadeiras e distrações permitidas, Gabriela conta que faz questão de preservar boa parte da rotina normal. "Acordamos cedo, tomamos café da manhã juntos, estudamos e cumprimos com diversas tarefas e responsabilidades. Crianças precisam disso", salienta a jornalista.

No horário da tarde é que a diversão rola solta. Pensando nesse momento de descontração, que a mãe e empresária Catherine Ribas (26) criou uma conta no Instagram para dar dicas a outros pais que estão em casa com os filhos. O perfil Mãe de Dois (@NãoPiraManhe), nasceu da preocupação de não deixar as crianças no tédio e os pais no desespero. "Comecei a perceber nas postagens das mães uma preocupação de como mantê-los entretidos. Resolvi, então, compartilhar a nossa rotina, dando todas as ideias que desenvolvemos aqui."

Famílias unidas

Sem esconder a real gravidade da epidemia, Catherine conta que sente necessidade de manter os filho atualizados. Na casa de Gabriela, o mesmo. "Eu e meu filho mais velho assistimos ao telejornal uma vez ao dia, para que ele compreenda o que está acontecendo e saiba se proteger", diz a jornalista.

Enquanto esperam a crise passar, os filhos de Catherine, de 2 e 8 anos, aproveitam para estreitar ainda mais os laços com os pais. "Criamos uma rotina só nossa. Chegamos ao ponto da minha filha mais velha expressar que não quer que a quarentena acabe. Ela sabe o que está acontecendo no mundo, mas também tem ciência de que aqui tem proteção."

Ansiedade

Conforme a psicopedagoga Adriana, reduzir a vida familiar a um espaço físico limitado pode gerar estresse e ansiedade, tanto nos adultos quanto nas crianças. "Não é momento de os pais ficarem absurdamente estressados sobre o tempo que os filhos passam nas telas de tablet e celular - claro, cuidando o conteúdo -, ou por comerem guloseimas a mais. Afinal, quem aí não está ansioso?", reflete.

Para ela, a manutenção da saúde mental deve estar em primeiro lugar. "Sugiro que não se coloque como meta ser a mãe ou o pai perfeito da quarentena. Crianças são resilientes e vão aprender muito vivendo essa pandemia nesta fase."

Brincadeiras em conjunto, misturadas à divisão da carga doméstica entre os membros da família facilita o convívio. Conforme Gabriela, agora ela e os filhos estão desenvolvendo melhor a colaboração familiar, em vez de os adultos fazerem tudo pelas crianças, todos trabalham juntos. "Eles sentem falta da rotina de antes, mas têm consciência de que é melhor prevenir agora para poder aproveitar com saúde todos os outros momentos depois ."

O lado bom

Conforme Catherine, a quarentena fez sua família colocar o pé no freio. A correria para pagar as contas e finalizar as tarefas se mostrou neste momento menos importante do que a união e proteção familiar. "As responsabilidades aos poucos transformam as nossas prioridades em coisas que, a exemplo deste momento, não significam nada perto do que a família representa."

A oportunidade para ressignificar o valor dos momentos entre pais e filhos está sendo crucial para a empresária. "Teve que existir um pandemia para mostrar ao mundo que todos precisavam olhar para dentro de suas casas e começar a cura por lá."



Trabalhando em casa, Gabriela Junqueira Quevedo criou nova rotina para ela e os filhos, de 10 e 3 anos

Comments

SEE ALSO ...