Polícia

Meio Ambiente de Roca Sales e Patram investigam crime ambiental

O biólogo Cristian André Prade informou que está elaborando um relatório de constatação ambiental que será enviado posteriormente para o Ministério Público


Possível crime ambiental que ocorreu no Arroio Barão do Triunfo, interior de Roca Sales - divulgação

ROCA SALES | O Departamento Municipal de Meio Ambiente de Roca Sales, em parceria com a Patrulha Ambiental de Estrela (Patram) da Brigada Militar, investigaram, na tarde desta sexta-feira, um possível crime ambiental que ocorreu no Arroio Barão do Triunfo, interior de Roca Sales. O curso de água está vinculado ao Programa de Recuperação Sustentável da Mata Ciliar do Rio Taquari (PRSMCRT).

De acordo com informações dos moradores locais, a água na localidade encontra-se imprópria não pode ser utilizada para dessedentação dos animais e para demais atividades agropecuárias. Segundo denúncias anônimas feitas ao Departamento Municipal de Meio Ambiente e à Patram, o possível contaminante na água pode ser proveniente de dejetos de atividades agropecuárias.

O biólogo Cristian André Prade informou que está elaborando um relatório de constatação ambiental que será enviado posteriormente para o Ministério Público. A possível contaminação ambiental na água ultrapassa uma área de dois quilômetros de extensão, gerando um impacto ambiental para a fauna, flora e população local.

"A preservação ambiental, preocupação básica de qualquer sistema de produção, deve estar presente em qualquer atividade, em especial no manejo dos dejetos e rejeitos de animais. Os dejetos devem ser usados como adubo orgânico, respeitando sempre as limitações impostas pelo solo, água e planta. Quando isso não for possível, há necessidade de tratar os dejetos adequadamente, de maneira que não ofereçam riscos de poluição quando retornarem à natureza", relata o biólogo.

O sargento da Patran, Dari Júlio Scherer, caso identificado o responsável e a localização do lançamento irregular poderá haver autuação de acordo com o 54 inciso V da Lei Federal 9605/98. "Hoje não foi possível identificar, pois pode ter ocorrido no período da chuva e com o calor o efeito deste dejeto aparece mais tarde. O fato pode ter ocorrido há mais tempo e a uma distância considerável do local vistoriado", completa o sargento.

Comments